Live da Abraji recebe fotojornalista Mauro Pimentel
  • 26.06
  • 2020
  • 20:48
  • Abraji

Formação

Live da Abraji recebe fotojornalista Mauro Pimentel

O convidado da 11ª Live da Abraji sobre jornalismo e covid-19 é o fotógrafo Mauro Pimentel, da Agência France-Presse (AFP), baseado no Rio de Janeiro. A conversa é na próxima terça-feira, 30.jun.2020, às 21h. Em pauta, os dilemas de cobrir a crise sanitária, ética no fotojornalismo e o trabalho em campo com imagens.

Pimentel, que recebeu menção honrosa do Prêmio Vladimir Herzog em 2018 por uma foto realizada durante a ocupação militar da Rocinha, vê semelhanças entre o trabalho em zonas de conflito e a situação atual de crise sanitária. “Tudo envolve risco. É outra realidade, mas tão dura quanto. Dói da mesma forma, é abrupta, difícil de entender”, define.

Para o fotojornalista, a maior diferença entre cobrir zonas de risco, como as comunidades do Rio de Janeiro, e a pandemia é que esta última expõe os profissionais de imprensa ao risco o tempo todo. Ele conta que sai sempre de máscara e macacão e desinfeta seu equipamento após cada cobertura.

As saídas para cumprir as pautas também exigem planejamento e cuidado maiores. “No fotojornalismo, o repórter vai muito às ruas para às vezes encontrar coisas, não muito óbvias, para flagrar algo. Mas com a pandemia isso mudou”, afirma. 

Com um Prêmio Petrobras no currículo pelo especial “Balas Perdidas”, sobre histórias de sobreviventes de tiroteios entre a polícia e traficantes no Rio de Janeiro, o jornalista da AFP diz que gostaria de estar falando de quem sobrevive à covid-19. “Mas, como jornalista, temos que mostrar o que não está dando certo”, defende ele, que na primeira quinzena de junho fotografou o trabalho pesado e sub-remunerado de enfermeiros no Hospital Público Ernesto Che Guevara, em Maricá (RJ).

Trabalhando em uma agência internacional, o fotojornalista diz que pôde ver a pandemia percorrendo todos os escritórios da AFP no mundo. A France-Presse era um dos poucos veículos de imprensa com uma equipe em Wuhan, na China. Agora, as atenções estão divididas entre Brasil e Estados Unidos.

Nas semanas anteriores, o espaço virtual das lives da Abraji teve a participação de Ana Lucia Azevedo (O Globo), Raull Santiago (Coletivo Papo Reto), Kátia Brasil (Amazônia Real), Vinícius Assis (correspondente brasileiro na África), Ciara Carvalho (Jornal do Commercio), Tai Nalon (Aos Fatos), Ruben Berta (Blog do Berta), Milton Jung (CBN) e Catarina de Angola (Angola Comunicações) e Miriam Leitão (Grupo Globo). A íntegra das conversas está disponível no Instagram.

O Programa Tim Lopes de Proteção aos Jornalistas, desenvolvido pela Abraji, também organizou três lives sobre os desafios de fazer jornalismo na fronteira, os 18 anos do assassinato de Tim Lopes e estratégias de segurança digital para profissionais da imprensa.

Assinatura Abraji