Jornalista é alvo de ofensas e ameaças após publicar reportagem sobre Dia do Fogo
  • 30.08
  • 2019
  • 16:00
  • Abraji

Liberdade de expressão

Acesso à Informação

Jornalista é alvo de ofensas e ameaças após publicar reportagem sobre Dia do Fogo

Após a publicação da reportagem “Dia do Fogo: produtores planejam data para queimada na região”, em 05.ago.2019, Adecio Piran, repórter e proprietário da Folha do Progresso — que circula em Novo Progresso, no Pará —, passou a ser alvo de ameaças e ofensas em redes sociais e por meio de um panfleto distribuído na cidade. 

O plano de queimadas revelado por Piran se concretizou em 10.ago.2019, e a crise ambiental na Amazônia ganhou repercussão nacional e internacional. No panfleto apócrifo distribuído em Novo Progresso, a autoria das queimadas é atribuída ao jornalista:  “O sr. não é progressivamente patriota, destrói nosso município ao chamar atenção para algo que não existe, focos de incêndio que o sr. menciona em sua matéria vinculada (sic) em seu jornal on-line no dia 22 de agosto de 2019, foi o sr. mesmo que ateou fogo para produzir sua matéria.” A motivação de Piran, segundo o panfleto, seria “lucrar com mentiras e difamação”. Mentiras sobre o jornalista também foram divulgadas em grupos de WhatsApp na cidade.

No dia 28.ago.2019, Piran registrou boletim de ocorrência por calúnia. Até agora, duas pessoas foram ouvidas, entre elas Donizete Severino Duarte, suposto autor do panfleto e membro do grupo de WhatsApp “Direita Unida Renovada”, no qual circularam informações falsas sobre o jornalista. Outras seis serão intimadas a depor. A Folha do Progresso continua realizando a cobertura dos incêndios na região.

Novo Progresso é um dos municípios mais afetados pelas queimadas. Uma reportagem da revista National Geographic publicada em 28.ago.2019 mostra imagens aéreas da Floresta Nacional do Jamanxim, feitas no dia 26.08.2019. Quinze dias se passaram desde o chamado Dia do Fogo, e a região segue em chamas, coberta por fumaça. Funcionários do Ibama que atuam na cidade afirmaram não haver previsão para a chegada da Força Nacional.

A Abraji manifesta solidariedade a Adecio Piran. Quando um jornalista é atacado por realizar o trabalho de informar, o prejuízo é de toda a sociedade. Cabe às autoridades investigar as ameaças a Piran e punir os responsáveis.

Assinatura Abraji