Acusado de lesão corporal contra jornalista é nomeado secretário de comunicação em Embu das Artes
  • 06.02
  • 2019
  • 16:00
  • Natália Silva

Liberdade de expressão

Acusado de lesão corporal contra jornalista é nomeado secretário de comunicação em Embu das Artes

Ney Santos (PRB-SP), prefeito de Embu das Artes, anunciou em 23.jan.2019 a nomeação de Renato Oliveira como secretário de Comunicação da cidade. Oliveira e seu segurança Lenon Roque foram denunciados pelo Ministério Público por lesão corporal contra o jornalista Gabriel Binho. [A Abraji publicou nota a respeito, à época]

Gabriel Barbosa da Silva, conhecido com o Binho, é colaborador do jornal digital Verbo Online. Na madrugada de 28.dez.2017, ele foi alvo de disparos quando voltava de uma reunião pela rodovia Régis Bittencourt. Na altura do quilômetro 279, sua motocicleta foi atingida por um carro. O jornalista caiu e deslizou por um barranco até uma rua paralela à rodovia. Em seguida, o mesmo carro que o havia atingido passou pela rua e um dos passageiros efetuou três disparos em sua direção. 

Segundo a acusação, Renato Oliveira dirigia o carro e Lenon Roque efetuou os disparos. Oliveira era subsecretário de Tecnologia e Comunicação em Embu das Artes. Após ser indiciado pelo ocorrido, foi exonerado do cargo. De acordo com reportagem do jornal O Taboense, Oliveira confirmou para a polícia em 16.01.2018 estar dirigindo o carro que atingiu Binho, mas negou os disparos contra o jornalista. 

O processo contra Renato Oliveira e Lenon Roque aguarda julgamento desde 4.fev.2019. Por meio da assessoria, o prefeito afirma que Binho acusa Oliveira por motivação política, pois o jornalista teria ligação com a vereadora Rosangela Santos (PT-SP). Afirma também que a conclusão da investigação desmente o jornalista.

Sobre a nomeação de Oliveira para o cargo de secretário de Comunicação, o prefeito afirmou que: “Tendo em vista que vivemos em um regime democrático, não podemos julgar antecipadamente nenhum cidadão. O relacionamento de Renato Oliveira com os jornalistas da região é saudável e atualmente não há nada que o impeça de exercer o seu cargo.”

A promotora Alice Camargo, responsável pelo caso, não respondeu até a publicação desta reportagem. 

Assinatura Abraji