Seguranças da CPTM agridem e ameaçam jornalistas em São Paulo
  • 07.11
  • 2018
  • 11:03
  • Abraji

Liberdade de expressão

Seguranças da CPTM agridem e ameaçam jornalistas em São Paulo

Na manhã da última terça-feira (6.nov.2018), uma equipe da TV Globo de São Paulo foi agredida, ameaçada e teve um de seus equipamentos retirado à força por seguranças da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). A repórter Cinthia Toledo e o repórter cinematográfico Luiz Fernando Castiglioni registravam depoimentos de passageiros prejudicados por uma falha em um dos trens da Linha 7-Rubi quando os agentes tentaram impedir seu trabalho.

Três seguranças e o chefe da estação Perus, zona norte da capital paulista, se aproximaram e disseram que a equipe não tinha autorização para gravar no local. Ao perceber que continuava sendo gravado, o responsável pela estação ameaçou o repórter cinematográfico: “Você tá forçando já...nós vamos quebrar esse equipamento ai”. 

Os seguranças empurraram Castiglioni e o chefe tomou o celular de trabalho das mãos de Cinthia Toledo. O equipamento só foi devolvido depois de a assessoria de imprensa da CPTM entrar em contato com o funcionário.

À TV Globo, o gerente de relacionamento da CPTM Sérgio de Carvalho afirmou que os seguranças e o servidor envolvidos já foram afastados de suas funções e o caso será apurado, para aplicação de sanções cabíveis. “Não há nenhuma orientação da CPTM para restringir o acesso de qualquer veículo que queira fazer uma matéria dentro da CPTM”, disse Carvalho.

A Abraji repudia a agressão e a ameaça a Cinthia Toledo e a Luiz Fernando Castiglioni. A violência contra jornalistas em função do exercício da profissão atenta contra o direito à informação. A Abraji espera que de fato os autores sejam responsabilizados, e que a CPTM se encarregue de orientar a eles e aos demais funcionários quanto ao tratamento dispensado a jornalistas.

Diretoria da Abraji, 7 de novembro de 2018

Assinatura Abraji