Repórter da Rádio Bandeirantes é agredida em manifestação em São Paulo
  • 01.10
  • 2018
  • 19:37
  • Abraji

Liberdade de expressão

Repórter da Rádio Bandeirantes é agredida em manifestação em São Paulo

A repórter da Rádio Bandeirantes Ana Nery foi agredida verbalmente e com uma cabeçada por um manifestante pró-Bolsonaro no domingo (30.set.2018). O ato em apoio ao candidato à presidência pelo PSL aconteceu na Avenida Paulista, em São Paulo (SP).

A jornalista entrevistava uma capitã da Polícia Militar (PM) sobre a preferência da corporação em fazer proteção apenas dos manifestantes em uma das faixas da Paulista, quando o homem se aproximou e começou a ofendê-la, aos gritos. O manifestante a acusou de “pilantra” e falou que ela era da “imprensa de merda”. Nery pegou o celular para registrar a agressão e afirmou que registraria boletim de ocorrência (BO) contra o homem, que em seguida lhe deu uma cabeçada.

Os policiais que presenciaram a cena apenas afastaram o agressor e não prestaram socorro à jornalista. Duas pessoas que estavam próximas se ofereceram para testemunhar em favor da repórter, que registrou o BO na tarde desta segunda-feira (01.out). Nery conseguiu fotografar o agressor e apresentou a imagem à polícia.

A Abraji condena a agressão a Ana Nery, ponto máximo na escalada de ataques de apoiadores do candidato registrada ao longo da última semana. Como se o assédio massivo direcionado a jornalistas em redes sociais e as ameaças de violência física não fossem graves o suficiente. É lamentável, ainda, a postura passiva dos policiais militares diante da hostilidade do manifestante.

Um país que não compreende a diferença entre crítica ao trabalho jornalístico e violência contra profissionais da imprensa coloca a democracia -- e a si próprio -- em grave risco.
Diretoria da Abraji, 1º de outubro de 2018.

Assinatura Abraji